Deixe um comentário

” NA ESQUINA DO TEMPO Nº 50″ DE GLORIA LEÃO

Glorinha partiu tão cedo deixando para nós uma história única de amor e de uma vida cheia de cores. Agradeço ter feito um pouquinha parte desses momentos.  Acompanhei parte de sua trajetória até o nascimento do seu primeiro livro “Na Esquina do Tempo nº 50” e confesso que até hoje não o li. Ficou todo o tempo aqui na aba lateral da Mamyrene para me lembrar. Li várias resenhas, vídeos e sei que é uma obra de sucesso. Vou ler sim e sei que a cada página sentirei a presença viva de sua autora. 


Este livro é um pequeno relato de todas as mulheres que cabem em mim, em todas nós.


Todas elas sempre conviveram dentro de nosso corpo e de nossa alma, mas só agora, na maturidade, deixamos que aflorem, cada uma com sua força, seus defeitos, seus ensinamentos, suas chatices. Somos todas, partes da mesma natureza feminina, um mundo de hormônios a fervilhar a vida toda, que de repente, param e nos deixam sós conosco mesmas. Mas a ausência deles não nos esvazia, pelo contrário, nos faz enxergar, ou pelo menos deveríamos, como somos belas, plenas e elaboradas.

Nenhuma mulher passa incólume por esse limiar: cabe a cada uma tirar o melhor de si mesma, aprendendo os modos de (se) usar a menopausa e a maturidade.”



Escritora Glória Leão1957 – 2012

Conheci a Glorinha por pouco tempo e fui levada através de um  Arco Iris de cores que se atravessava esta Blogosfera. Ficava impossível não olhar e admirar tamanha beleza.


Para alegrar a todos  a Glorinha e tendo só amor naquele coração, resolveu unir todos os seus amigos para falar de sentimentos.  Começou então uma interação de sentimentos onde, como espectadora, presenciei em cada cantinho um turbilhar de  emoções que mesmo falando de sentimentos bons e ruins todos acabavam num aprendizado, numa lição de vida que terminava no sublime de todos o amor.


E dentre minhas participações nessas Blogagens Coletivas promovidas por  Gloria Leão através do seu blog Café com Bolo escolhi para homenageá-la a  que se refere a cor BRANCA. 
A cor branca, ou simplesmente o branco, é a junção de todas as cores do espectro de cores. É definida como “a cor da luz”, em cores-luz, ou como “a ausência de cor”, em cores-pigmento. É a cor que reflete todos os raios luminosos, não absorvendo nenhum e por isso aparecendo como clareza máxima.
Todas essas definições mostram a cor branca em todo o nosso  universo – na natureza soma as suas  nuances a beleza , a perfeição , ao encanto.
Por ser a cor da luz e da bondade é o símbolo da pureza , da PAZ
Em seu último post no Café com Bolo tem um trecho que ela nos diz: ” Vem da humildade em aceitar que somos pequenos diante da fragilidade de nossos corpos e que só através da dor, do contorno dos obstáculos, das pedras pelo caminho, crescemos e nos tornamos mais fortes, prontos para aceitarmos nossos destinos, sejam eles pequenos riachos calmos ou turbulentas quedas d’água capazes de criar luz.”  Glorinha seguiu o caminho da Luz. 

O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo…”


(Destaquei algumas partes podendo ser vista completa clicando aqui). 
5 Comentários

“Garota All Star”

Tremendo sábado é lá estava eu tendo que ir para o meu curso de inglês. Já estava quase desistindo de continuar com o Inglês aos sábados, mas como estava trabalhando no Shopping no turno da noite e estudando de manhã só me restava o sábado para tentar terminar o inglês.

Depois do curso tinha que passar na Secretaria para pagar a mensalidade e lá fui eu com certa pressa, pois ainda tinha que trabalhar.  Minha vida era essa correria e gostava de viver nessa adrenalina.

Quando cheguei à secretária estava atendendo a um garoto muito gatinho que vestia uma camiseta preta, calça jeans e havaiana. Ele olhou para mim me deu um sorriso que até gostei e apesar de não ter nem falado com ele fiquei um pouco que fascinada.

Tentei saber o seu nome olhando para o papel de inscrição, mas não consegui. Foi uma pena ter sido só esse simples sorriso, mas quem sabe poderia vir a encontrá-lo novamente.

Antes de sair ele ainda me olhou por inteiro e aquilo mexeu comigo mais ainda. Eu era meio que exagerada na forma de me vestir. Gostava do meu estilo jovem e o meu All Star era peça constante. Minha mãe me chamava sempre da “Garota All Star” e  falava isso para todas as suas amigas, desde que me  pegou dormindo com eles nos pés. Virou assunto do dia, da semana, do mês e só Deus sabe até quando vai continuar falando.

Paguei a mensalidade e fui andando para casa a fim de comer alguma coisa antes de ir para o Shopping. Quando estou abrindo a portaria do prédio passa um garotinho, que não era muito bonito, mas não era de se jogar fora, me olhava sem disfarçar, passou por mim, e olhou para traz só para continuar a olhar!

Estava percebendo que meu visual estava agradando e que o meu estilo All Star me dava muita sorte e principalmente no amor!
Tinha mesmo que concordar com minha mãe quando me chamava de “Garota All Star” porque eu já estava me sentindo a própria.

Irene Moreira

“Se tem uma coisa que não largo do pé, é meu All Star, não… Ele não tem chulé e não tomo banho com ele.. (credo), mas é a minha principal característica.. hehe!”

Minha participação para a 13ª Edição Inspiração
Projeto Suas palavras

ism_rs

%d blogueiros gostam disto: